ENTREVISTAS


  • Por que a Atenção Primária é desejável

    Guadalupehome

    Há consenso no mundo de que a existência de uma Atenção Primária à Saúde robusta, cumprindo a função primordial de porta de entrada é fundamental para a integração dos serviços e para efetividade do sistema no cumprimento de suas funções essenciais. É o que conta nesta entrevista a pesquisadora do Instituto de Saúde Coletiva da Universidade Federal da Bahia (UFBA). "Essa ideia é difundida mediante documentos organismos internacionais e evidenciada nos inúmeros estudos publicados, especialmente depois da segunda metade dos anos 70", diz. Leia mais

  • Público-privado: uma parceria sem começo nem fim

    GiovanniGC_

    Para fomentar o debate sobre as propostas e planos que podem reorientar as políticas de saúde no país nos próximos anos, Região e Redes entrevistou o professor da Universidade de São Paulo (USP), ex-secretário estadual de Saúde e vice-presidente do Instituto Coalizão Saúde. Segundo ele, uma das soluções para melhorar o acesso à saúde e torná-lo sustentável pode ser o incremento das relações público-privada no Sistema Único de Saúde (SUS). Leia mais

  • “O paciente deve ser sujeito e não objeto do sistema de saúde”

    NelsonIB

    Para colocar o paciente como sujeito é preciso criar mecanismos de acolhimento, regulação da demanda em vez da oferta, e melhorar a suficiência do sistema, explica o professor da Faculdade de Ciência Médicas da Santa Casa de São Paulo. Além disso, complementa ele, é fundamental o apoio de políticas sociais e econômicas. "Sem isso, é a mesma coisa que combater endemias rurais com inseticidas. Mata-se o mosquito, mas as pessoas também." Leia mais




PONTO DE VISTA



  • A pesquisa Região e Redes integra o olhar e conhecimento da universidade, da gestão, dos profissionais e da sociedade. Esse movimento é importante porque interage com os mais diferentes atores envolvidos no processo de construção da realidade multifacetada do nosso país
    nelson-testemunial
    Nelson Ibañes (CEALAG)
    É preciso pensar no Brasil que queremos daqui a 10 anos. Qual a estratégia do Estado brasileiro? É preciso um plano nacional de desenvolvimento que conecte essa preocupação com a redução das disparidades regionais e sociais com instrumentos financeiros e institucionais que viabilizem uma gestão eficiente dos serviços públicos  
    fernando-resende-testemonial
    Fernando Rezende (FGV)
    Só será possível integrar o sistema de saúde nos seus níveis de complexidade e criar um sistema de referência e contrarreferência para a orientação e encaminhamento dos pacientes se o conjunto dos municípios do Estado estiver previamente regionalizado
    SilviaG-testemunial
    Silvia Gerschman (Fiocruz)
    Região e Redes é um dos novos canais que buscam ampliar o debate sobre o futuro da saúde no Brasil e os caminhos para universalizar o direito garantido pela Constituição
    AnaLuizaViana
    Ana Luiza D`Ávila Viana (USP)
    Somente a regionalização da saúde nos dará condição de garantir um sistema de saúde como o que está posto na Constituição Brasileira
    JurandirF
    Jurandir Frutuoso (Conass)
    Pelo seu caráter multidimensional, a pesquisa Região e Redes desempenha importante papel de resistência e consolidação do SUS, pois identifica, concretamente, nos territórios, a materialidade dos gargalos estruturais que impedem o seu pleno desenvolvimento
    EduardoF
    Eduardo Fagnani (Unicamp)
    A pesquisa ‘Região e Redes’ inova ao adotar uma abordagem multidimensional para elucidação da regionalização da saúde no Brasil
    LucianaDL
    Luciana Dias de Lima (Fiocruz)
    A regionalização pode diminuir a iniquidade entre as regiões de saúde. É o que vai tornar possível adaptar o modelo de funcionamento do SUS, de atenção à saúde e cuidado às singularidades regionais
    GastaoWagner
    Gastão Wagner (Unicamp)
    A constituição de regiões de saúde é imprescindível para promover um uso mais eficiente dos recursos e contribuir para a melhor qualidade da atenção ao reduzir a fragmentação assistencial e promover a continuidade do cuidado
    Ligia Giovanella
    Ligia Giovanella (Fiocruz)
    Para que se concretizem as regiões, é impositiva a constituição de instâncias de poder compartilhado entre os municípios de uma região, o respectivo estado e a União, todos envolvidos no financiamento e na gestão das ações governamentais
    Luis Eugenio Portela
    Luis Eugenio Portela (UFBA)
    A região deve ser o âmbito primordial para a efetivação da atenção e cuidado integral em saúde, assim como para a efetiva integração entre políticas públicas complementares e oriundas de diversos setores institucionais
    Alcides Miranda
    Alcides Miranda (UFRGS)


INSTITUIÇÕES PARTICIPANTES